É gripe ou resfriado?


Olá minhas queridas, estamos de volta e dessa vez em um novo mês com novos assuntos.


O mês de setembro chegou e com ele vem a primavera, nele encerramos o período de inverno e começamos a florir. Aqui em nossa região o período do inverno é quente e seco castigando um tanto a todos nós. É difícil manter uma imunidade boa e não ser acometido por nenhuma crise de rinite, resfriado ou gripe. Mas afinal, você sabe diferenciar cada um desses problemas respiratórios? Vem comigo que no artigo de hoje vamos entender um pouco mais e saber diferenciar cada quadro.


Sabemos que no outono e inverno ocorrem muitas oscilações climáticas, o tempo seco e a baixa umidade do ar são fatores que contribuem para o aumento das alergias respiratórias devido à alta concentração de poluentes na atmosfera. Aqui no centro-oeste ainda temos um agravante, as queimadas. Com isso há uma maior quantidade de agentes irritativos ao sistema respiratório na atmosfera, levando a uma redução dos mecanismos de defesa do organismo, o que propicia o aparecimento de doenças respiratórias como asma, bronquite, rinite, sinusite, gripe e resfriado.


Além do fator climático outros fatores contribuem para o aparecimento desses problemas respiratórios, como: o sedentarismo, alimentação inadequada, sono reduzido, pois isso tudo afeta nosso sistema imunológico, como já abordamos em artigos anteriores.


Quando as vias respiratórias são atingidas por um ar mais seco e frio há uma piora do sistema respiratório, que reduz a produção de muco eliminado pelas glândulas das vias aéreas, na qual existem enzimas e anticorpos protetores. Com o frio, o transporte do muco das vias aéreas inferiores para as superiores fica comprometido e faz com que as doenças respiratórias se proliferem com maior facilidade.


Para se manter protegido de vírus e bactérias que afetam a respiração, atitudes simples podem evitar a proliferação dessas doenças como manter os ambientes arejados, beber bastante líquido e manter os ambientes húmidos com o uso de umidificadores ou potes com água, são algumas das ações que podem fazer a diferença. Além disso manter o calendário vacinal sempre atualizado é de suma importância, como por exemplo, a vacina contra o vírus influenza e para o pneumococo, disponíveis no SUS.


A gripe é causada pelo vírus influenza, que pode ser dos tipos A ou B. Cada uma dessas categorias se divide em outros subtipos, dentro do A, está o H1N1; e, do B, o Yamagata, por exemplo. O vírus influenza tem maior afinidade pelo pulmão, tendo a pneumonia como uma de suas complicações mais frequentes.


Os principais sintomas da gripe são febre alta, dor intensa no corpo, tosse, dor de garganta e cansaço. Geralmente, eles aparecem quatro dias após o contato com o agente infeccioso e persistem por mais de uma semana.


Para o tratamento da gripe existem remédios específicos contra o Influenza, que quando indicados devem ser administrados nas primeiras 48 horas. Também são indicados antitérmicos e analgésicos, além de antibióticos nas complicações bacterianas comprovadas.


Já o resfriado é uma outra infecção respiratória desencadeada por diversos tipos de vírus. Entre eles o Rinovírus, Adenovírus e Parainfluenza. Possui sintomas mais brandos que os da gripe e inclui coriza, febre baixa, tosse e espirros. E geralmente a recuperação tende a ser mais rápida.


Para o tratamento do resfriado não há uma medicação específica. Podem ser usados analgésicos, antitérmicos ou antibióticos nas complicações de origem bacteriana comprovada.


A rinite é uma inflamação e irritação da mucosa nasal. Ela possui várias causas influenciadas pelo ambiente, como poeira, ácaros, mudança climática, e a genética tem grande influência no aparecimento da inflamação, afetando adultos e crianças. Os principais sintomas são: congestão nasal, dor de cabeça, espirros, coceira no nariz e olhos, lacrimejamento ocular, além da coriza. Geralmente o tratamento é feito com uso de antialérgicos, lavagem nasal com soro fisiológico, corticoide e descongestionantes. A melhor forma de prevenção é a higiene ambiental, deve-se evitar tabagismo, travesseiros, colchões de pena, tapetes, carpetes e cortinas.


A sinusite é a inflamação dos tecidos que revestem o seio da face, favorecendo o acúmulo de muco. Ela pode ser aguda ou crônica e os seus principais sintomas são congestão e corrimento nasal. O tabagismo e a umidade podem ser gatilhos para a doença aguda.


Quando se trata de gripes e resfriados, o melhor remédio é a prevenção. E, medidas simples podem ajudar a não ter os incômodos sintomas dessas doenças. No dia a dia, lave com frequência as mãos, procure uma alimentação balanceada consumindo menos alimentos gordurosos e mais alimentos cheios de vitaminas e minerais.


Crianças, gestantes e idosos fazem parte do grupo de risco para esses problemas respiratórios. No dos pequenos, o sistema imunológico ainda não se encontra totalmente desenvolvido, principalmente nas crianças de colo, as mais vulneráveis. Já os idosos, muitas vezes, não têm o sistema imunológico fortalecido o suficiente para defender plenamente o organismo.


Vale lembrar que as pessoas vacinadas podem ter gripe, porém os sintomas costumam ser menos intensos. A boa notícia é que resfriado e a gripe costumam ser limitados e o ciclo da doença raramente ultrapassa dez dias. É sempre importante lembrar que antibióticos não estão indicados nesses casos, a menos que aconteça uma infecção bacteriana associada.


Espero que tenham gostado e aprendido a diferenciar cada quadro. É sempre importante ter um médico de confiança para esclarecer todas suas dúvidas. Ficamos por aqui e até a próxima.



30 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo