CROCHÊ - a terapia da ATENÇÃO

Atualizado: 8 de Jul de 2020


Queridas leitoras, amantes ou não da prática do artesanato, penso que este artigo pode ser interessante para você. Estamos vivendo um momento atípico, diferente e desafiante, estive pensando em como as pessoas estão cada vez mais buscando maneiras de manter sua sanidade, tranquilidade e formas de ter um mínimo de domínio sobre suas emoções.


O artesanato tem sido um desses caminhos, sou professora da arte da mandalas, mas também desenvolvo projetos que me permitem ter acesso a artesãs de diversas áreas e saber o quanto elas têm sido procuradas e o quanto elas vêm se dedicando ainda mais em compartilhar seu conhecimento para contribuir de algumas formas com o desenvolvimento artístico de outras mulheres.


Todos os artesanatos têm um poder terapêutico, mas alguns exigem maior atenção, concentração e foco, também desenvolvem com muita eficiência nossa coordenação motora, devido a habilidade manual exigida. Este conjunto promove um maior estado de presença na atividade, diminui os hormônios do estresse e aumenta os níveis de serotonina e dopamina, substâncias responsáveis pelas sensações de bem-estar e prazer. Dentre esses artesanatos, hoje quero dedicar este artigo ao delicioso crochê.


A palavra Crochê vem de um termo existente em um dialeto nórdico, que significa gancho, referindo-se a forma do bico da agulha de Crochê que puxa os pontos. Segundo historiadores, o trabalho de crochê tem origem na pré-história, porém não existem evidências concretas de onde surgiu esta arte. No entanto, o que se sabe é que a partir de 1800 o crochê ganhou espaço e começou a ter o formato que conhecemos hoje, graças à francesa Riego de La Branchardiere, que desenhou padrões que podiam ser facilmente copiados e publicou um livro para que outras pessoas pudessem reproduzir seus desenhos.


O fato é que o crochê está sendo cada dia mais reconhecido como mais que um passatempo. Crochetar acalma, previne doenças como Alzheimer, alivia o estresse, a depressão e a ansiedade.


Porém, como o tema é atenção, vamos compreender um pouco mais como isso acontece. Algumas pessoas equivocadamente consideram atenção, foco e concentração uma mesma habilidade. Apesar de estarem interligadas, cada uma delas tem o seu próprio significado e propósito. Gosto desta explicação: "CONCENTRAÇÃO é a capacidade de manter o FOCO no que você está fazendo. ATENÇÃO é perceber os detalhes e nuances do que está sendo feito".


Crochetar mantém as atividades cerebrais a todo vapor, estamos intelectualmente ativas. Durante a prática, contamos pontos, analisamos o resultado, se os pontos estão muito apertados ou muito frouxos... Concentradas e na maioria das vezes observando uma receita, focadas no movimento de nossas mãos trabalhando conjuntamente em harmonia com a agulha e a linha, atenciosas a cada detalhe buscando cada vez mais agilidade e aperfeiçoamento, aos poucos a magia vai acontecendo e algo belo surge deste movimento contínuo e perseverante. Peça pronta, um alimento para a autoestima, a maravilhosa sensação do FUI EU QUE FIZ.


Temos também as crocheteiras profissionais capazes de crochetar e ao mesmo tempo, conversar, assistir, mas não nos iludamos, porque elas estão acima de qualquer movimento externo, focadas no seu trabalho manual e perceberão se algo sair do planejado. Se isso acontecer, desmancham se necessário toda a obra para recomeçar e fazer exatamente como deve ser feito.


Quantas lições numa simples e deliciosa técnica, aprendida e desenvolvida por todas aquelas que vieram antes de nós. Sim, o crochê também faz este resgate, também pode ser uma porta que nos conecta a nossa maravilhosa essência criadora.


Achou interessante tudo o que a arte do crochetar pode fazer? Se sim, o que você acha de começar agora mesmo esta maravilhosa terapia?


Convidei uma destas queridas artesãs que estão dedicando tempo de suas vidas em auxiliar outras mulheres a desenvolver suas habilidades manuais por meio das redes sociais, para participar desta nossa publicação.


A jovem professora Lauanny Teixeira, que carinhosamente chamamos de Lau, uma amável carioca que mora em Cuiabá e tem um estilo todo lindo e próprio de se expressar por meio da sua arte. Parceiras e alunas a admiram e amam sua dedicação ao compartilhar seu conhecimento. Olha o que ela nos diz: “O crochê sem dúvida é uma terapia capaz de salvar vidas, a cada carreira a contagem dos pontos, a dedicação total e exclusiva para que sua peça fique linda. Me arrisco a dizer que o crochê é uma meditação e a contagem de pontos é um mantra. Respiração para quando não dá certo e lá vamos nós, recomeçar e fazer as agulhas dançarem entre nossos dedos, fazendo de um novelo de linha uma peça única e especial. E não tem volta, depois dos primeiros pontos lá vem - só mais carreira, e assim passamos horas sem perceber. Uma delícia chamada crochê. Vamos crochetar também?”


E esta querida preparou um presente especial para quem já quer começar, um vídeo com o passo a passo para iniciantes do CROCHÊ – A TERAPIA DA ATENÇÃO.

Gratidão!







111 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo