Entrei na Menopausa, e agora?


A vida da mulher é cheia de desafios, e a menopausa traz diversas mudanças físicas, hormonais e psicológicas para a mulher. Essas mudanças repercutem na saúde geral da mulher, podendo alterar sua autoestima e qualidade de vida, e também na longevidade. Mas calma minha amiga, estamos aqui para desmistificar a menopausa e fazer você passar por esse período de forma mais leve.

Na verdade menopausa é o nome dado a última menstruação da vida da mulher que geralmente acontece entre 45 e 55 anos, marcando o fim da vida reprodutiva. Para dizer que a mulher está em menopausa é necessário 12 meses de suspensão da menstruação. Já todo o período de transição em que ocorrem as alterações hormonais é chamado de climatério. O climatério e a menopausa não são doenças! São ocorrências naturais do ciclo de vida das mulheres e nem todas apresentarão sintomas no decorrer desse período.

A palavra climatério significa “fase crítica” que se inicia por volta dos 40 anos e se estende até a pós-menopausa. Sua principal característica são as transformações físicas e emocionais decorrentes do desequilíbrio na produção dos hormônios femininos pelos ovários. A idade da ocorrência da menopausa parece geneticamente programada para cada mulher, pelo número de folículos ovarianos, mas pode ser influenciada por fatores socioeconômicos e culturais, paridade, tabagismo, altitude e nutrição.

No período inicial do climatério, também chamado de perimenopausa, alterações endócrinas decorrentes sobretudo do declínio da função ovariana são de grande importância. Clinicamente essas modificações se apresentam como irregularidades menstruais, como espaçamento ou encurtamento entre um ciclo e outro, polimenorreia ou oligomenorréia, evoluindo mais tardiamente para amenorréia por anovulação temporária ou definitiva. Essas mudanças decorrem não somente da falência ovariana, mas também de modificações do sistema nervoso central- hipotálamo e hipófise.

É também nessa fase inicial que ocorrem os fogachos, que são as ondas de calor; acompanhadas de sudorese, calafrio, palpitação, dor de cabeça, tontura, formigamento, insônia, perda de memória e cansaço. A origem das ondas de calor não é conhecida, mas provavelmente é decorrente as quedas dos níveis de estrogênio.

Esse período pode ser marcado também por irritação do humor ou depressão; labilidade emocional (ausência de estabilidade emocional); diminuição do desejo sexual; ressecamento da mucosa vaginal, levando ao desconforto ou à dor na relação sexual; dificuldade para o esvaziamento da bexiga; infecções repetidas e até incontinência urinária. As alterações desse período podem causar um dano na qualidade de vida, podendo desencadear um desequilíbrio em cascata, prejudicando o ambiente profissional, familiar e até a ela mesma.

Nessa fase, devido a queda dos níveis de estrogênio a mulher perde o fator protetivo para doenças cardiovasculares e preservação da massa óssea. O sintoma mais comum da osteoporose da coluna é a lombalgia, e os sinais mais representativos, perda de altura e cifose.

Com o objetivo de amenizar os sintomas do climatério e tornar esse período mais fácil de atravessar, em pacientes saudáveis que apresentam sintomas podem fazer uso da reposição hormonal. A recomendação atual indica a utilização por tempo curto (menos de cinco anos) para diminuir os efeitos indesejados a longo prazo. A reposição hormonal não é recomendada para pacientes com antecedente de câncer de mama, doença coronariana, acidente vascular cerebral, sangramento genital sem causa definida. A reposição hormonal sempre deve ser feita com acompanhamento médico.

O tratamento nesse período vai muito além da reposição de hormônios. Pode ser feito um tratamento não hormonal, utilizando fitoterápicos e óleos essenciais. Além disso é de suma importância um acompanhamento psicológico.

Estudos já comprovaram que um estilo de vida saudável, com exercícios físicos regulares e alimentação balanceada, podem reduzir os sintomas do climatério, já que o período também é influenciado pelos níveis de estresse no organismo. Evitar o tabagismo também trará muitos benefícios, já que além de causar diversas doenças, o hábito pode antecipar a menopausa em um ou dois anos. O consumo de alimentos ricos em cálcio ajuda a reduzir os casos de osteoporose.

É sempre importante procurar orientação no serviço de saúde mais próximo de sua casa. Converse com seu médico! Beba bastante água; use roupas leves e procure ambiente fresco e ventilado; pratique exercícios leves regularmente; evite fumo, álcool ou outras drogas; tenha uma alimentação balanceada; tome sol. Estas medidas vão contribuir para a melhoria da qualidade de vida e prevenção de doenças como câncer de mama, osteoporose, hipertensão, diabetes, obesidade, entre outras.

Encare esse período com leveza e tranquilidade!


32 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Inscreva-se aqui para receber novidades sobre nosso site e eventos

  • Facebook
  • Instagram

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados