Eterno cantador


Olá amadas amigas, estamos nos despedindo do mês de junho, mas seguimos nesta alegria junina, entre fogos, bandeiras e doçuras que a vida nos traz.


O fogo que transforma, que transmuta e que revela o que de melhor pode haver. Assim tem sido nossa jornada na busca constante por uma melhor versão de nós mesmas. As bandeiras que enfeitam o mês de junho representam a beleza que podemos enxergar na vida e nas oportunidades que cada dia nos presenteia. E tudo pode ser doce, leve, alegre e positivo, depende da nossa energia.


Em junho continuamos nesta caminhada mais reflexiva, mais introspectiva, e mais íntima, o que tem sido uma novidade, pois estávamos acostumados a pular fogueira e dançar quadrilha. Mas a vida é como tem que ser, e passamos pelo solstício do inverno em 2020 de uma forma diferente. No momento em que o sol brilhará por mais tempo no hemisfério norte, nós aqui no hemisfério sul geralmente estamos todos reunidos nesta época em celebração, especificamente no Brasil, nosso amado São João.

O que eu percebo como grande oportunidade neste inverno que se iniciou (em várias cidades no Brasil, pois Cuiabá é sempre quente rs), é seguirmos nesta busca interna por nossa lapidação de uma forma muito especial, tendo a oportunidade de vivenciar isso sem pressa, apreciando o tempo e nos preparando para a primavera que em futuro breve chegará.


É tempo de nos prepararmos para um novo momento, a colheita de flores belas que surgirão no jardim do tempo, mas é preciso aquietarmos o coração e renovar nossas esperanças em dias melhores para colher as cores que a primavera nos trará.


A canção de hoje, ainda na alegria que os festejos juninos nos trazem é um hino ao amor, e mais uma vez do grande Mestre Luiz Gonzaga. A canção "Eterno cantador" é um forró muito “arretado”, daquele “dos bão”.

É a belíssima “Eterno Cantador”. Começa dizendo da brasilidade tão alegre simples: sanfona, chapéu e gibão é um retrato desse meu sertão. Segue ainda retratando em poesia sobre a nossa luta e a importância de persistir no sonho que temos, mostrando a beleza de transformar a dor em uma grande lição.

Essa canção ainda me enche de certeza que ter empatia ao ser humano vale a pena, me lembra que podemos ser instrumentos de transformação por onde quer que passemos. Me recorda que vale a pena ser do bem e que me faz ter a vontade de ser daquele tipo de gente que agrega, que acrescenta na vida das pessoas, que auxilia, que estende a mão quando precisa, mas que também mostra o caminho quando é necessário. E o melhor, essa música mostra que é simples fazer isso, que isso tudo pode acontecer com a ferramenta mais poderosa que temos, a palavra.

Se só os versos do que eu vivo cantando, fizer feliz o coração de alguém, por esse pouco que eu vou acrescentando, meu coração será feliz também”.

“Quem viu a vida derramar amor, não vai deixar de ser um cantador”.


Amigas, é claro que esta canção diz muito sobre uma cantadora de boas vibrações pra gente, uma sonhadora que movimentou a energia e fez isso tudo isso aqui acontecer, é nossa co-fundadora Dumara Volpato, pessoa que tenho a alegria de chamar de amiga e que sempre me convida a ser melhor. Amiga, essa é em celebração ao teu dia 22 e a tudo que você vem acrescentando em nossas vidas.


Assim como a Du, tenho uma tia, amiga, que vem acrescentando muito dentro do meu coração e há muito tempo, que a minha amada Rosangela Miles (temos até um artigo sobre ela aqui ein). Também dedico este artigo e toda beleza que esta canção apresenta, a ti.


Que o amor que este mês nos trouxe, continue sempre presente em nossos dias, que o romantismo dos enamorados e a fogueira de São João continuem iluminando nossos corações.




9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo