Feng Shui - Sintonizando o Canal!


No post anterior, para nos sintonizarmos com o caminho da HARMONIA, eu trouxe para a nossa jornada o seu conceito. Hoje, vamos dar mais alguns passos em direção à sintonia desse canal trazendo a base e o olhar pelo qual iremos falar de harmonia, o Feng Shui.

Vamos ao início?


O que é Feng Shui?


Feng Shui quer dizer literalmente, Vento e Água, pronuncia-se Fang Suei, e vem sendo praticado a mais de 4 mil anos na China.


Na sua essência, o Feng Shui nasceu de um culto aos mortos, na procura de um lugar auspicioso para o enterro de seus anciãos, líderes, como uma forma de honrar e poder prosseguir com prosperidade, posteriormente esse saber se transpôs à procura de segurança e proteção no espaço exterior (onde de fato habitávamos). Dessa observação de lugares auspiciosos originou-se o estudo do ciclo e fluxo de energia (Chi), da terra e do céu e de sua interação com a humanidade e, promoveu-se dessa forma, uma tomada de consciência da paisagem que nos cercava, com o intuito de encontrar os melhores locais para estarmos e vivermos, e não para sobrevivermos!


O Feng Shui foi estruturado a milhares de anos, quando vivíamos 90% do nosso tempo no espaço exterior. A sua adaptação, expansão e “atualização” para o interior das nossas Casas, é bem mais recente. Segundo Sofia Batalha, pesquisadora e especialista em Feng Shui, essa interiorização do Feng Shui talvez tenha apenas uma centena de anos ou nem isso, em contraposição aos 4 mil anos de sua história! Você sabia que atualmente vivemos 90% do nosso tempo de vida em espaços interiores? Isso mesmo, por isso a importância de olharmos com atenção esses ambientes. Ao mesmo tempo que temos influência sobre um espaço, também somos influenciados por ele.


Apesar de o sistema Chinês de harmonização de espaços ser o mais conhecido no momento, Denise Linn, outra pesquisadora e autora, relata que esta arte mística da disposição de espaços e harmonização, era praticada por muitas civilizações antigas de maneira singular, conforme a sua cultura.


O que é fato para mim, é que Feng Shui é a procura de segurança na paisagem que nos ajuda a criar os locais onde vivemos, permitindo-nos conhecer e sintonizar as energias que nos cercam (interior e exterior) e utilizá-las em nosso benefício, o que nos possibilita trazer para as nossas vidas mais equilíbrio, paz, prosperidade, saúde e bons relacionamentos.


É importante deixar claro que não se deve esperar que o Feng Shui, como uma varinha de condão, deixará a nossa vida perfeita para sempre. A vida é cíclica e os desafios fazem parte dela e são importantes para o nosso crescimento e evolução espiritual. Nesse contexto, as nossas casas devem nos proporcionar a energia da segurança, da nutrição e do fazer, do concretizar. Mas elas não devem ser tão perfeitas, de forma a permitir que fiquemos lá para sempre e não termos vontade de fazer mais nada, isso seria um excesso de controle sobre algo que é incontrolável, então muita calma nessa hora, Feng Shui sempre será o equilíbrio entre desafio e segurança.


Dessa maneira, sobre novas perspectivas, podemos cuidar do nosso lar e gerar mais harmonia em nossas vidas. Para isso, é importante que nos sintonizemos sobre um ponto de vista:


A nossa casa é uma extensão de nós mesmos, a nossa casa e tudo o que tem dentro dela nos representa, pois é nossa expressão. A nossa casa somos nós! Portanto, a forma como a nossa casa está hoje, reflete quem nós somos ou como estamos agora, neste momento de nossas vidas e, nos retroalimenta comas informações que cada símbolo contido carrega.


Você já escutou a expressão “você é aquilo que pensa”? A questão é que você não está sendo somente aquilo que você pensa conscientemente, você está sendo também, aquilo que você nem sabe que pensa, o que está no seu inconsciente, seus valores, seus medos, suas crenças, e isso, no mundo da matéria, está também representado de algumas formas na sua casa!


Desde crianças fomos crescendo e sendo moldados com algumas crenças. Por exemplo, uma criança a quem se repita com frequência que é desastrada, egoísta ou que não aprende nada direito, está fadada a aceitar esse programa negativo, porque ainda não tem discernimento suficiente para rejeitar essas crenças.


As crenças com que crescemos se integram a nós, e à medida que projetamos a nossa forma de ser na vida, ou à medida em que somente emanamos a nossa energia, tais crenças estão presentes, atuando em nosso campo energético como um ímã, atraindo pessoas e situações compatíveis com quem somos, ou melhor, eu prefiro dizer, atraindo pessoas e situações compatíveis com quem estamos sendo agora.


Existem culpados por termos tantos programas e crenças que nos limitam? Não! Estamos todos aqui para nos conhecer e evoluir. Se tudo foi como foi, é porque tudo isso faz parte de nós ou fazia parte de alguma forma. Assentir o nosso lado bom e o nosso lado não tão bom, é o melhor caminho para que as verdadeiras transformações aconteçam nas nossas vidas.


Hoje, muitas pessoas estão indo ao encontro de conhecer as crenças que bloqueiam e limitam as suas vidas, a fim de mudar ou ressignificar, para evoluírem como seres humanos, para terem uma vida mais leve, para avançarem profissionalmente, familiarmente, para terem mais saúde, para serem mais felizes, e eu sou uma dessas pessoas!


Marcella, por que você está falando tudo isso, o que isso tudo tem a ver com harmonia e Feng Shui?


Eu estou falando de tudo isso porque, hoje, sabemos que quando mudamos a nossa realidade interna, isso se reflete na nossa realidade externa. Entretanto, ainda não é tão difundido o fato de que se você mudar a sua realidade externa (o seu lar, a sua casa), a sua realidade interna também mudará. Isso mesmo, o contrário também é verdadeiro! Pouco ainda se fala sobre a importância de conhecer, a qualidade de energia que temos dentro da nossa casa. E, o que eu venho percebendo, por experiência própria, é que muitas vezes estamos buscando ferramentas para trabalhar o nosso crescimento interior, mas fica esquecido o olhar para os nossos lares, para esse mundo energético material que nos pertence, aonde somos acolhidos e nos acolhemos em todos os momentos, de sol ou tempestade, de alegria ou tristeza. Além de ser o lugar onde descansamos e nos nutrimos em todos os níveis. Então, como será que está acontecendo essa retroalimentação? Será que estamos nos nutrindo com coisas construtivas?


Vejo que conciliar o crescimento interior e exterior é multiplicar a possibilidade de harmonia e prosperidade na vida.


A nossa CASA, corpo menor (eu) e corpo maior (casa), tem ferramentas para o nosso autoconhecimento e poder de transformação.


Nos próximos artigos, vou trazer mais informações valiosos para a transformação de nossas vidas através do nosso lar.

Grata por estar comigo até aqui!

Que seja luz!


111 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo