MOBILIZANDO


Olá flores, sejam bem vindas a mais um encontro, desejo que todas estejam bem e que possam ter um mês de agosto com boas novas!!!


Nos dois artigos anteriores falei um pouco a respeito de duas regiões da coluna vertebral que em meu ponto de vista são mais comuns as queixas de dor e isso por serem segmentos de maiores amplitudes de movimento, mas não posso deixar de lembrar que existem outras regiões: torácica, sacral e coccígea, que formam nossa coluna vertebral constituindo assim o eixo central esquelético do corpo.


Cada uma com sua função, trazendo assim o perfeito equilíbrio entre esta estrutura que é a coluna vertebral, fazendo assim, com que ela seja capaz de sustentar, amortecer e transmitir o peso corporal, suprir a flexibilidade necessária à movimentação, proteger a medula espinhal e formar com as costelas e o esterno o tórax.


Para iniciarmos a assunto deste mês quero lhes convidar a entendermos melhor o significado deste tema Mobilizando e refletirmos juntas como está a mobilização da nossa coluna vertebral.


Mobilidade significa característica do que é móvel ou do que é capaz de se movimentar. Percebo que algumas pessoas ainda acreditam que uma postura correta é aquela totalmente retilínea, mas não é bem assim! Nossa coluna é formada por quatro curvas fisiológicas que são essenciais, proporcionando movimentos de flexão, extensão, inclinação e rotação à coluna.


Quando a mobilidade de nossa coluna vertebral é perdida ocorre uma certa rigidez e esse mecanismo pode se dar por conta de encurtamento muscular, ou ainda, por inabilidade dos músculos enfraquecidos a ponto de não movimentarem as partes corretamente, mantendo o corpo em postura inadequada de forma constante, causando um desalinhamento entre as regiões envolvidas e por isso a importância de olharmos com carinho para a mobilidade desta estrutura.


Escolhi dois exercícios que utilizo frequentemente com meus pacientes para trabalhar essa mobilização e consequentemente melhorar a nutrição das cartilagens e da amplitude de movimento do corpo, relaxar o corpo e proporcionar alivio da dor.


Em posição de 4 apoios com a postura neutra iniciamos o movimento de hiper extensão de toda a coluna lentamente inspirando pelo nariz e em seguida expirando o ar pela boca lentamente realizamos a flexão de toda a coluna, arredondando as costas e “engolindo” o umbigo nas costas. Podem repetir os movimentos de cinco a oito vezes, lembrando de executa-los de forma lenta e sempre associar a respiração.


Certifique-se de que seus joelhos estejam alinhados com o quadril e sem apoio na cervical (travesseiro ou acessório de cabelo). Inicie o movimento inspirando pelo nariz e elevando o quadril de forma gradativa até a altura das escapulas, depois expirando pela boca desça o quadril lentamente encaixando vértebra por vértebra. Também podemos realizar de cinco a oito repetições e com os mesmos cuidados.


Queridas amigas minha gratidão mais uma vez a todas, pela demonstração de carinho e confiança, me permitindo estar com vocês mais uma vez nesta coluna Pilateando com Camila Schuck. Um abraço carinhoso a todas!



37 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo