Outubro Rosa



Olá minhas queridas, estamos de volta com mais um artigo, dessa vez vamos abordar o assunto do mês, Outubro Rosa, mês de falarmos de prevenção de câncer de mama.


O outubro rosa é um movimento internacional com ações em todo o mundo de luta contra o câncer de mama. Este movimento começou nos Estados Unidos em 1990, com a corrida pela cura em Nova York, a ação se estendeu com a iluminação rosa de monumentos, prédios públicos, pontes e teatros. A popularidade do Outubro Rosa alcançou o mundo de forma bonita, elegante e feminina, motivando e unindo diversos povos em torno de tão nobre causa.


E porque essas ações são tão importantes? Porque o câncer de mama é o tipo de câncer mais comum em mulheres no mundo, é responsável por cerca de 28% dos casos novos de câncer em mulheres. O câncer de mama é raro antes dos 35 anos com aumento progressivo após os 50 anos. São vários os tipos de câncer de mama, alguns evoluem de forma rápida, outros, não. A maioria dos casos possui um bom prognóstico.


O sintoma mais comum de câncer de mama é o aparecimento de nódulo, geralmente indolor, duro e irregular. Outros sintomas de câncer de mama são: edema de pele, semelhante a casca de laranja, retração cutânea, dor, inversão do mamilo, hiperemia, descamação ou ulceração do mamilo, secreção papilar unilateral e espontânea. A secreção associada ao câncer geralmente é transparente, podendo ser rosada ou avermelhada devido à presença de glóbulos vermelhos. Podem também surgir linfonodos palpáveis na axila.


Esses sinais e sintomas devem sempre ser investigados nas consultas de rotina da mulher. A postura atenta das mulheres em relação à saúde das mamas, que significa conhecer o que é normal em seu corpo e quais as alterações consideradas suspeitas de câncer de mama, é fundamental para a detecção precoce dessa doença. Por isso o autoexame das mamas é tão importante, cabe ao médico ou enfermeiro orientar a paciente como deve ser feito o autoexame, não deixe de esclarecer suas dúvidas com seu médico.


Além do componente genético relacionado ao risco de câncer de mama, outros fatores de risco estão relacionados aos hábitos de vida, como o excesso de peso, falta de atividade física, consumo de bebida alcóolica e alimentação desbalanceada. Estima-se que por meio da alimentação, nutrição e atividade física é possível reduzir em até 28% o risco de a mulher desenvolver câncer de mama. Controlar o peso corporal e evitar a obesidade, por meio da alimentação saudável e da prática regular de exercícios físicos, e evitar o consumo de bebidas alcoólicas são recomendações básicas para prevenir o câncer de mama e outras comorbidades crônicas. A amamentação também é considerada um fator protetor.


O prognóstico do câncer de mama depende da extensão da doença (estadiamento), assim como das características do tumor. Quando a doença é diagnosticada no início, o tratamento tem maior potencial de cura.


As modalidades de tratamento do câncer de mama podem ser divididas em: Tratamento local: cirurgia e radioterapia (além de reconstrução mamária) e Tratamento sistêmico: quimioterapia, hormonioterapia e terapia biológica.


O tratamento de câncer de mama é oferecido de forma integral pelo Sistema Único de Saúde (SUS) com todos os tipos de cirurgia, como mastectomias, cirurgias conservadoras e reconstrução mamária, além de radioterapia, quimioterapia, hormonioterapia e tratamento com anticorpos. A lei nº 12.732, de 2012, estabelece que o paciente com neoplasia maligna tem direito de se submeter ao primeiro tratamento no SUS, no prazo de até 60 dias a partir do dia em que for firmado o diagnóstico.


Todo nódulo ou outro sintoma suspeito nas mamas deve ser investigado para confirmar se é ou não câncer de mama. Para a investigação, além do exame clínico das mamas, exames de imagem podem ser recomendados, como mamografia, ultrassonografia ou ressonância magnética. A confirmação diagnóstica só é feita, por meio da biópsia.


Existem duas estratégias de detecção precoce: o diagnóstico precoce e o rastreamento. O objetivo do diagnóstico precoce é identificar pessoas com sinais e sintomas iniciais da doença. O diagnóstico precoce é uma estratégia que possibilita terapias mais simples e efetivas, ao contribuir para a redução do estágio de apresentação do câncer.


Já o rastreamento é uma ação dirigida à população sem sintomas da doença, que tem o intuito de identificar o câncer em sua fase pré-clínica. Atualmente, apenas há a indicação de rastreamento aos cânceres de mama e do colo do útero.


A mamografia é o método preconizado para o rastreamento, sendo o mais eficaz para detecção precoce de câncer de mama e a única modalidade de triagem que provou reduzir a mortalidade de 25-30% por esta doença. A alta mortalidade associada ao câncer de mama se deve, na maioria dos casos, à sua detecção tardia. A mamografia -e indicada para mulheres assintomáticas com risco populacional e idade maior ou igual a 40 anos ou mulheres assintomáticas com alto risco e idade maior ou igual a 25/30 anos.


Já que estamos falando de rastreamento vale falar sobre o câncer de colo de útero. É o terceiro tumor maligno mais frequente nas mulheres, e a quarta causa de morte por câncer entre a população feminina no Brasil. A doença, entretanto, pode ser descoberta durante exame de rotina e atinge altas taxas de cura quando detectada e tratada no início.


O método de rastreamento do câncer do colo do útero no Brasil é o exame citopatológico (exame de Papanicolau), que deve ser oferecido às mulheres na faixa etária de 25 a 64 anos e que já tiveram atividade sexual. O câncer do colo do útero é causado pela infecção persistente do papilomavírus humano (HPV), principalmente por seus subtipos chamados de oncogênicos. Atualmente, existe a vacina contra o HPV, indicada para meninas de 9 a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos.


Posso parecer repetitiva por aqui, porém a melhor forma de prevenir o câncer de mama é um hábito de vida saudável com prática de atividade física, controle do peso corporal e uma alimentação equilibrada. E para uma melhor qualidade de vida devemos sempre observar nosso corpo e realizar nossos exames de rotina conforme a faixa etária. E você já realizou seus exames de rotina nesse ano? Outubro rosa está para nos trazer mais consciência e saúde.



21 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo