Pré Natal: cuidados da doce espera


Olá minhas queridas, bem vindas a mais um artigo do mês de maio. Após falarmos sobre gestação tardia e técnicas de reprodução assistida, daremos seguimento a nossa gravidez, a nossa doce espera de 9 meses e falaremos sobre os cuidados necessários nesse período, o tema de hoje é: Pré Natal.


Mesmo com toda preparação para a tão esperada gestação, esse é um período de mudanças intensas e rápidas, é um período de insegurança e dúvidas. E tudo bem se sentir insegura, com medo, sem saber o que fazer, o importante é escolher um médico que lhe transmita confiança para te acompanhar nesse período e esclarecer todas as suas dúvidas.


Pergunte tudo durante as suas consultas, faça desse momento de espera um aprendizado.

Mas afinal o que é o pré natal? O pré natal corresponde a um conjunto de medidas de natureza médica, social, psicológica e de cuidados gerais com o objetivo de assegurar a saúde materna e do bebê em formação desde a pré concepção até o pós parto, com papel fundamental na prevenção e detecção de doenças maternas e fetais. Sua realização permite o desenvolvimento saudável do bebê e redução de riscos à gestante, sendo possível identificar doenças já presentes no organismo como hipertensão arterial, diabetes, doenças do coração, anemias e sífilis, por exemplo.


O pré natal é o momento de fazer prevenção, diagnóstico precoce e tratamento de doenças próprias da gestação. E para as mães com idade mais avançada ou que utilizaram técnicas de reprodução assistida ele é ainda mais importante. Um pré natal adequado é o primeiro passo para um parto e nascimento saudável. A gravidez é um período de sobrecarga física e emocional, portanto, a assistência pré-natal deve ser iniciada antes da concepção, de forma a garantir que a mulher esteja fisicamente apta a suportar essa sobrecarga. A consulta pré concepcional é tão importante quanto o pré natal, pois é nela em que ocorre o planejamento, com o objetivo de determinar o melhor momento de iniciar uma gestação, minimizando os riscos de malformações congênitas, além de evitar medicações teratogênicas, discutir hábitos, dieta, sedentarismo, viagens e a busca de cura ou compensação de doenças.


O Ministério da Saúde considera um pré natal adequado aquele que tem no mínimo 6 consulta, sendo elas mensais até a 34° semana, quinzenal até a 36° semana e a partir daí semanal até o parto. Sendo que não existe alta do pré natal, ele deve seguir até o momento do parto, e além disso um consulta de pós parto é essencial para saúde materna e infantil.


Devemos lembrar que a primeira consulta deve ocorrer o mais breve possível, logo na primeira suspeita de gravidez. Se você está grávida saiba que o seu documento mais importante nesse momento é a sua caderneta da gestante, pois nela está todas as suas informações de pré natal, exames, resultado de USG e fatores de risco, informações valiosas caso tenha alguma intercorrência.


Em termos de cuidados, suplementação e rotina de exames costumamos dividir a gestação em 3 trimestres. O primeiro, até 12 semanas, é o período que exige os maiores cuidados, já que é nessa fase em que ocorre a maioria dos abortos espontâneos. Aqui devemos fazer a suplementação de ácido fólico com o objetivo de evitar malformações fetais. Solicitamos os primeiros exames e ultrassonografia (USG), a fim de investigar os antecedentes maternos e prever possíveis intercorrências durante a gestação, como por exemplo diabetes gestacional, incompatibilidade sanguínea, infecção por toxoplasmose, infecção por sífilis, dentre outros. É no primeiro trimestre a janela para se realizar o USG com translucência nuca, de 11-14 semanas para avaliar o risco de doenças congênitas e síndromes como a Síndrome de Downl. Na primeira consulta um ponto importante é calcular a idade gestacional, inicialmente feita com base na data da última menstruação, depois consideramos para o cálculo o primeiro USG (entre 7-11 semanas), podendo haver até duas semanas de diferença entre os dois cálculos, a partir disso também determinamos a data provável do parto, que seria ao completar 40 semanas. A primeira consulta é rica de orientações a respeito das alterações no corpo materno decorrente da gestação, os sintomas e as condutas a serem tomadas, dos sinais de alerta, ganho de peso, orientações alimentares, orientações a respeito do exercício físico, uso de medicamentos, uso de qualquer tipo de droga e tabagismo é desaconselhado, cuidados com a pele, hábitos de higiene, trabalho de parto e vacinação.


O segundo trimestre vai até 24 semanas, é o período de maior desenvolvimento e crescimento fetal, aqui é necessário iniciar a suplementação de ferro e manter um dieta com bom aporte de proteínas, e novamente repetimos os exames de sorologia e glicemia. É no segundo trimestre a janela para se realizar o USG morfológico, idealmente feito entre 20-24 semanas com a finalidade de avaliar a estrutura física, cardíaca e renal. A partir de 12 semanas as mamães ficam mais tranquilas, pois já conseguimos ouvir os batimentos cardíacos fetais durante as consultas de pré natal por meio do sonar doppler. A partir de 18 semanas as mães já começam a perceber os movimentos fetais.


O terceiro trimestre vai até o término da gestação, é nesse período que ocorre a mineralização óssea, sendo necessário a suplementação de cálcio materno. No terceiro trimestre se realiza investigação de infecção por estreptococo hemolítico, repetimos as sorologias e fazemos o USG com doppler (34-36 semanas) tem como objetivo avaliar o crescimento fetal, a quantidade de líquido amniótico e a placenta de acordo com o tempo de gestação.


A maturidade fetal é clinicamente alcançada a partir da 37° semana de gestação, e a precisão da datação da gravidez é essencial para evitar a prematuridade. Dentre os principais parâmetros do desenvolvimento fetal a serem avaliados está a maturidade pulmonar, que ocorre ao redor da 35° semana.


Mais um fato importante durante o pré natal é a escolha da via de parto, sempre deve ser respeitada a vontade da mãe e cabe ao médico orientá-la quanto aos riscos e benefícios de cada método. Independentemente se a via de parto será normal ou cesárea é essencial que ocorra a preparação física e emocional materna para o momento.


Pré natal é um assunto extremamente extenso, aqui tentei ressaltar sua importância e alguns pontos chave durante o período da gestação. É importante sempre esclarecer suas dúvidas com seu médico, anote todos seus questionamentos e leve para consulta. Escolha um médico que tenha uma linguagem simples e clara, nesse momento você deve se sentir segura.

Siga as recomendações de seu médico e tenha uma doce espera.



28 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Inscreva-se aqui para receber novidades sobre nosso site e eventos

  • Facebook
  • Instagram

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados