Queda de cabelo, o que fazer?


Olá minhas queridas, estamos de volta com mais um artigo. Nessa semana vamos abordar uma queixa muito comum no consultório, a queda de cabelo. São diversas as causas desse problema e os tratamentos podem ser variados.


Em primeiro lugar precisamos entender que a queda de cabelo é natural e faz parte do ciclo de crescimento normal do cabelo, estima-se que uma queda de 50 a 100 fios por dia seja normal. Porém ultrapassar esse limite pode significar que toda a estrutura capilar está fragilizada, desde a raiz até as pontas, sendo necessário investigar a causa dessa queda para o tratamento adequado.


O desenvolvimento e a multiplicação das células do folículo piloso não são contínuos, seguem um padrão cíclico, dividido em 3 fases: anágena, fase de crescimento; catágena, fase de regressão; e telógena, fase de repouso. Em indivíduos normais de 83% a 90% dos fios estão em fase de crescimento, 11% em fase de regressão e apenas 1% em fase de repouso. São os fios da fase de repouso em que ocorre a queda do fio. Cada fio de cabelo passa por essas fases em média de 10-20 vezes antes de cair.


Milhões de pessoas, de ambos os sexos, diariamente desenvolvem esses sinais de perda de cabelo que aparecem gradualmente. Os sinais podem ser sutis podendo se prolongar por meses ou anos antes que seja percebido.


Se houver queda de cabelo intensa um médico deve ser procurado para investigação da causa do problema. Uma simples queda de cabelo pode indicar sérios problemas de saúde, como anemia, desnutrição, disfunção de tireoide, doenças do couro cabeludo, falta de vitaminas ou excesso delas, estresse, excesso de bebida alcóolica e tabagismo. Além de fatores externos como excesso de química com coloração, relaxamento e escova progressiva. Além disso, alguns fatores podem ser transitórios, assim como: pós cirurgia, gestação e amamentação, febre e infecção, determinando queda de cabelo mais acentuada por um determinado tempo.


A chave para o tratamento efetivo de queda de cabelo está em descobrir a causa. Sem diagnóstico adequado, frequentemente o tratamento será pouco efetivo. Nem toda queda de cabelo é tratável e recuperável, mas cuidados adequados podem evitar piora ou retardar a queda se for inevitável. O tratamento pode levar muitos meses antes que os resultados apareçam, não existe um tratamento único que funciona para todos, cada indivíduo tem uma resposta específica e única. Algumas vezes a queda pode ser perturbadora e de difícil tratamento ou recuperação, exigindo diferentes tratamentos antes que um funcione a contento.


Uma das causas mais comuns de queda de cabelo é a androgenética, que ocorre em indivíduos com predisposição, tem fator genético de herança materna ou paterna. Essa é a causa mais comum de queda de cabelo em homens de idade mais avançada. O termo alopecia androgénetica é utilizado devido ao envolvimento de hormônios andrógenos, provocando estimulação dos folículos pilosos, a testosterona provoca de forma precoce a passagem do folículo piloso para fase catágena e telógena, levando a queda precoce do fio.


Uma das principais causas de queda de cabelo, principalmente em mulheres, é o excesso de estresse, tanto físico como mental. Isso acontece porque níveis altos de cortisol, hormônio do estresse, pode levar a troca do ciclo dos fios do cabelo, fazendo-os cair. Em outros casos, o estresse pode não ser a causa principal da queda de cabelo, mas pode piorar a perda de cabelos que já exista por outro motivo. Nesses casos é aconselhado tentar reduzir a carga de estresse, participando em atividades de lazer, não apenas para tratar a queda de cabelo, mas também para garantir uma melhor qualidade de vida e evitar outros problemas mais graves que podem surgir com o tempo, como intestino irritável ou depressão.


Embora seja relativamente raro, a presença excessiva de vitaminas A ou do complexo B no corpo pode contribuir para a queda de cabelo. Esta situação é mais frequente em pessoas que estão tomando suplementos com algum destes tipos de vitaminas por muito tempo. Por isso não é recomendado suplementar vitaminas sem prescrição médica, pois seu excesso é prejudicial ao nosso corpo.


A queda de cabelo é relativamente comum em mulheres após o parto, não só devido às alterações hormonais que continuam a acontecer no organismo, mas também pelo estresse do parto. Geralmente, esta queda de cabelo surge nos primeiros 3 meses após o parto e pode durar até 2 meses. Embora seja mais raro, a queda de cabelo também pode surgir durante a gestação, parecendo estar relacionada com o aumento do hormônio progesterona que pode ressecar o cabelo, deixando-o mais fraco e quebradiço.


Assim como durante ou após a gravidez, as alterações hormonais são uma importante causa de queda de cabelo e podem acontecer em vários momentos da vida, especialmente durante a adolescência. E como falamos em um de nossos artigos anteriores, alterações dos hormônios tireoidianos estão associados a queda de cabelo.


Outra causa de queda de cabelo é a anemia, isso acontece porque os fios recebem menos sangue, nutrientes e oxigênio, tornando-os mais fracos e quebradiços. Geralmente, a anemia é causada pela falta de ferro, mas também pode surgir por outros fatores, como a diminuição de vitamina B12 no organismo.


Algumas classes de medicamentos, como os antidepressivos, os anticoagulantes ou os remédios para pressão alta podem ter o efeito colateral de contribuir para a queda de cabelo, especialmente no início do tratamento ou quando já estão sendo utilizados por muito tempo. Outros remédios que podem ter este tipo de efeito incluem o metotrexato, o lítio e o ibuprofeno, por exemplo.


Para evitar a queda de seu cabelo é importante que se mantenha os cabelos sempre saudáveis, e isso é possível a partir de uma alimentação saudável e equilibrada rica em vitaminas, minerais e proteínas, além disso evite álcool, tabagismo, frituras e doces em excesso. A higiene dos fios é de suma importância, porém lavar o cabelo demais ou de menos pode favorecer a queda de cabelo.


É importante também que se deixe secar o cabelo solto, pois prende-lo molhado ou dormir de cabelo molhado pode favorecer o surgimento de caspas, além de favorecer a proliferação de fungos e bactérias que acabam enfraquecendo a raiz capilar. Deve-se evitar lavar o cabelo em água quente, pois ela leva ao ressecamento do couro cabeludo.


Para tratar a queda de cabelo pode-se recorrer a produtos específicos, remédios ou suplementos como: Loção capilar com Minoxidil; shampoos e loções específicas para queda de cabelo; suplementos nutricionais para queda de cabelo, laser de baixa potência; carboxiterapia; implante de cabelos; e até transplante capilar.


Para melhor saúde dos cabelos é importante a ação tanto do médico, nutricionista e cabelereiro. Escolha sempre profissionais de confiança e busque conhecer seu corpo para que você escolher a melhor forma de tratamento para você.



23 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Inscreva-se aqui para receber novidades sobre nosso site e eventos

  • Facebook
  • Instagram

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados