The Fashion PACT: Indústria da Moda e Cúpula do G7


Que a sustentabilidade é a nova moda (urgente), já é sabido por todos, mas atualmente se faz necessário entender um pouco mais a respeito disso não acham?


Em artigos anteriores já foram demonstrados alguns dados em relação ao quão poluente a indústria têxtil pode ser (e é), além de outros dados devastadores e relevantes.


Porém, com a nova geração, tal que tem tido o foco e preocupação do cuidado com o meio ambiente e cuidado com o futuro, além do fator tecnológico, ou seja, hoje as informações chegam mais facilmente as pessoas, para o bem e para o mal, mas de certa forma, o conhecimento sobre situações não antes imaginadas “acorda/levanta” essa geração e a torna mais verde!


“Tá Pri, mas o que esse artigo tem de novo em relação aos outros que já versaram a respeito do binômio sustentabilidade e moda?”


Simples, Emmanuel Macron, presidente da França levou a questão Planeta x Moda para a Cúpula do G7 no encontro ocorrido em Biarritz, Sul da França, no intuito de unir forças, para fechar um acordo denominado The Fashion Pact, e é sobre esse acordo que o artigo versa hoje.


Percebe onde o assunto chegou? Enxerga agora sua relevância? Mais do que isso, dessa vez estão envolvidas marcas da Alta Costura e grandes Grupos que englobam Fast Fashions, que se comprometeram no referido acordo a diminuir os impactos da indústria têxtil no planeta. O prazo estabelecido como final para as “adequações” contidas no acordo é para o ano de 2030, ou seja, até 2030 as marcas que assinaram o acordo cumprirão algumas determinações em prol do meio ambiente.


Dentre as determinações do acordo estão: Eliminação do plástico de uso único e uso exclusivo de energia renovável, zerar as emissões líquidas de carbono (esta até 2050).

Relação de Marcas envolvidas:

- Adidas;

- BestSeller;

- Burberry;

- Capri Holding Limited (Versage, Jimmy Choo, Michael Kors);

- Carrefour;

- Chanel;

- Ermenegildo Zegna;

- Everybody & Everyone;

- Fashion3;

- Fung Group;

- Galeries Lafayette;

- Gap Inc;

- Giorgio Armani;

- Grupo H&M;

- Hermés;

- Inditex (Zara);

- Karl Lagerfeld;

- Grupo Kering;

- La Redoute;

- Matches Fashion;

- Moncler;

- Nike;

- Nordstrom;

- Grupo Prada;

- Puma;

- Grupo PVH (Calvin Klein, Tommy, Speed);

- Ralph Lauren;

- Ruyi;

- Salvatore Ferragamo;

- Grupo Selfridges;

- Stella McCartney;

- Tapestry;

(fonte Vogue)

Para finalizar, fica o pensamento, nas palavras da Marie Claire – Diretora de Desenvolvimento Sustentável da Kering “Na moda o melhor policial não é o Estado, é o consumidor”.



8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Inscreva-se aqui para receber novidades sobre nosso site e eventos

  • Facebook
  • Instagram

© Copyright 2020 - Todos os direitos reservados