Quer simplificar sua vida?


Olá amadas leitoras, após trazer algumas maneiras de organizarmos o nosso lar, hoje venho falar sobre algo que trouxe profundas transformações em minha vida: a filosofia minimalista. Você sabe o que é?

O minimalismo é uma filosofia ou um estilo de vida. O minimalista preza o simples, evita os excessos em todos os campos da vida. Na casa, nas roupas, nos cosméticos, nas maquiagens, na alimentação, nos espaços digitais (celular, computador, etc.), em sua gestão do tempo (agenda, compromissos, etc.), nas suas finanças, no seu modo de consumir em geral e também nos seus relacionamentos.

E por onde começar para se tornar um minimalista?

Sempre ao tomarmos uma decisão, podemos nos perguntar:

  • Isso que tenho ou estou escolhendo para estar ou entrar na minha vida, está coerente com a minha essência? Tem haver comigo?

  • Faz sentido eu manter isso em minha vida?

  • Eu quero isso para minha vida?

  • Eu realmente preciso disso?

Estas são perguntas chaves para você tomar boas decisões. Poder manter ou acrescentar em sua vida coisas ou pessoas que sejam realmente necessárias e benéficas para você.


Geralmente uma pessoa minimalista consegue poupar dinheiro, sabe por quê? Porque ela deixa de gastar com coisas supérfluas, superficiais, que não são importantes e assim consegue economizar para fazer bons investimentos. Quando adquirem algo, optam sempre por coisas de qualidade que tenham um custo x benefício justo. Os minimalistas preferem começar a investir seu dinheiro em experiências, tipo viagens ou em um bom prato para degustar com a família ou com os amigos, em ter dinheiro guardado para uma necessidade repentina ou para a realização de um sonho maior. Uma vida com menos coisas e mais significados. O minimalista vive o tempo presente de forma consciente e valoriza o seu tempo.

Quero trazer uma das coisas que fez uma grande diferença em minha vida. Onde comecei a fazer um “detox” nos meus compromissos ou tarefas. Aprender a dizer NÃO sem “peso” na consciência.

Eu tinha o desejo de ser aceita e de ser importante consequentemente não conseguia dizer não, e isso acarretava uma sobrecarga enorme em mim. Vivia cheia de coisas para fazer e resolver para os outros e é claro, ninguém é obrigado a se comprometer, mas depois que se compromete é obrigado a cumprir, não é mesmo? E eu acabava me deixando de lado, ou para depois, se sobrasse tempo. Você deve conhecer essa história.

Só depois que comecei a olhar pra mim com mais amor, respeito, e me colocar em primeiro lugar que consegui pensar melhor antes de dizer sim pra tudo e todos. Agora, busco dizer sim, apenas para aquilo que dou conta de forma tranquila, sem atropelos desnecessários. Simples assim.

Você deve estar pensando, mas como assim dizer não, sendo que aprendemos que devemos nos sacrificar para salvar os outros, não é mesmo?

Eu também havia compreendido assim. Mas quando comecei a organizar meus sentimentos de uma forma mais coerente e amorosa comigo, passei a entender que não é bem assim. Pelo fato de eu dizer um não para uma pessoa, não quer dizer que eu esteja “virando as costas” para ela. Eu estou apenas dizendo não para aquela atitude ou pedido que ela esta solicitando e que eu naquele momento não estou podendo fazer. Posso sim auxiliar indicando, orientando, delegando ou mostrando outras formas ou possibilidades de ela resolver seu problema, mas, não quer dizer que necessite ser EU. Entende?

Percebi também que existia uma dinâmica por trás disso tudo. Sabe aquele sentimento de ser melhor e que só EU poderia resolver aquilo?

Pois é, quando dizemos sim com esta postura de superioridade e de arrogância, estamos transmitindo a mensagem de que o outro é incapaz. Então, o que me trouxe mais conforto em dizer “NÃO” foi entender que preciso acreditar que o outro é capaz assim como eu sou. Que se eu posso fazer, ele também pode. Que muitas vezes, só precisa receber um incentivo e ir lá e fazer, sem precisar solicitar ao outro.

Precisamos nos conhecer e perceber o que está atuando ocultamente através das nossas decisões. Na maioria das vezes a vida pode ser simples, nós é que complicamos.

Em meus atendimentos, geralmente meus clientes chegam com a seguinte pergunta: O que preciso fazer para melhorar isso ou aquilo? Sendo que na maioria das vezes ele precisa responder esta outra pergunta: O preciso parar de fazer para que as coisas se transformem para melhor?

Faça esta análise, qual área da sua vida que esta precisando fazer um “detox”, ou seja, simplificar?

Bom, por hoje vou ficando por aqui. Espero que tenham compreendido o sentido de tudo que falei e que possam sentir em suas vidas o quanto essa prática pode fazer nossas vidas ficarem mais leves. Hoje trouxe apenas um exemplo, existem inúmeras outras formas de facilitar a vida.

E agora te pergunto: Você quer simplificar sua vida? O que você precisa parar de fazer?

Compartilhe comigo se fez algum sentido para você!

Até a próxima!!!


59 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo