Oração de São Francisco de Assis


Olá queridos(as) leitores a paz de Deus e o Amor de Maria, esteja com todos nós nesta abençoada semana que se inicia onde estamos tendo a feliz oportunidade de sermos melhor do que fomos ontem.


Na semana que passou meus dias foram bem corridos e agitados devido alguns acontecimentos em minha vida pessoal e profissional, em decorrência disso eu estava com dificuldades de me concentrar para escrever o artigo de hoje, mas como eu aprendi que as dificuldade existem para serem vencidas, com a graça de Deus estou aqui vencendo e buscando trazer o melhor de mim para vocês que estão me acompanhando neste belo desafio que a o Sra. de si está me proporcionando viver.


Eu fiquei examinando as coisas que eu estava vivendo e analisando os sinais que Deus me enviou, e que por eu estar envolvida com toda agitação não estava conseguindo receber.


Durante a semana parei algumas vezes para pensar e folhei meus livros de orações e sempre me vinha a palavra “PAZ” fiquei examinado e perguntei ao meu noivo se ele tinha alguma sugestão de oração e ele me disse para eu estudar e falar sobre a Oração de São Francisco de Assis.


Estudando a oração pude sentir o amor de Deus comigo, como nosso pai é perfeito e sabe exatamente o que cada um de nós precisa, pois eu estou precisando entender e colocar em prática essa linda e profunda oração.


Assim, eu lhe convido a elevarmos o pensamento ao nosso pai celestial para fazermos a Oração de São Francisco de Assis que também é conhecida como Oração pela Paz.

“Senhor, fazei de mim um instrumento de vossa paz. Onde houver ódio, que eu leve o amor; Onde houver ofensa, que eu leve o perdão; Onde houver discórdia, que eu leve a união; Onde houver dúvida, que eu leve a fé; Onde houver erro, que eu leve a verdade; Onde houver desespero, que eu leve a esperança; Onde houver tristeza, que eu leve a alegria; Onde houver trevas, que eu leve a luz. Ó Mestre, fazei que eu procure mais; consolar, que ser consolado; compreender, que ser compreendido; amar, que ser amado. Pois, é dando que se recebe, é perdoando que se é perdoado, e é morrendo que se vive para a vida eterna.

Amém.”

Essa oração é tão famosa e disseminadas que mesmo quem não segue nenhuma religião sabe as palavras de cor.

Vamos conversar um pouquinho a respeito desta linda oração?


Refletindo as frases que compõem esta belíssima oração consegui ver um ponto fundamental para a vida, viver para ser instrumento de Deus.


Conseguir ver que o sentimento que deveria pautar a vida de cada ser humano é o desejo de ser simplesmente instrumento consciente de Deus. Falo em instrumento consciente, pois inconscientemente todos já somos.


Na oração pedimos a Deus que onde houver seres humanos que tenham seus individualismos feridos pelo ódio que a ele levemos o amor. Mas não um amor qualquer, mas aquele que reflita a vontade de Deus, ou seja, o amor universal, e para isso é preciso entender que é o ódio.

Podemos entender como o individualismo insatisfeito, ou seja, o ser humano não consegue o que quer, quando não gosta do que é feito, cria, primeiramente, a mágoa e a frustração. Elas se transformarão em raiva que poderá levar ao ódio.

Se o ódio nasce da contrariedade, o amor, aquilo que pedimos para ser instrumento, então, é a satisfação com as coisas da vida.


Com o amor em nós podemos um dia vir a conseguir amar incondicionalmente uns aos outros ao ponto de conseguirmos perdoar uns aos outros, mas para perdoar, antes precisamos compreender o que é o perdão, pois o perdão ou a falta dele, pode fazer muita diferença na vida de alguém, pois com ele a reconciliação horizontal determina se a vertical que recebemos de Deus vai permanecer em nossa vida ou não.


A palavra de Deus é clara quanto ao fato de que se não perdoarmos a quem nos ofende, então Deus também não nos perdoará. Foi Jesus Cristo quem afirmou isto no ensino da oração do Pai-nosso.


Assim podemos chegar à compreensão que a reconciliação não é algo a ser praticado somente entre nós e Deus, mas também para com nossos irmãos, pois o mesmo perdão que recebemos de Deus deve ser praticado para com nossos semelhantes para que assim possamos viver em união.


Na frase da oração que diz onde houver dúvida, que eu leve a fé eu fiquei pensando quais dúvida pode haver na vida de um ser humano? Me veio as seguintes...


Para que nasci? Por que estou vivo? Para onde vou depois daqui? o que está acontecendo, realmente, no sentido espiritual, neste momento?


E cheguei à compreensão que só a Fé, com a confiança e entrega total a Deus pode esclarecer a realidade do mundo, ou seja, a Verdade.


Pois sem Fé jamais haverá compreensão da Verdade, do que está acontecendo realmente.


A oração nós propõe que levemos a esperança onde houver desespero, mas para que a esperança se manifeste no ser humano vai depender da forma como ele encara os acontecimentos da vida, pois na maioria da vezes o desespero é causado pela forma como estamos vendo a situação, e se mudarmos a forma de olhar, vamos ver que existe uma realidade muito diferente daquela que estávamos vendo, e ai, com a luz de Deus em nossa consciência podemos conseguir consolar mais que ser, consolado, compreender mais, que ser compreendido, amar mais, que ser amado, e assim, o ciclo do amor e do bem gira e nos devolve tudo o que conseguimos transmitir.


E assim me despeço de vocês pedindo a Deus que nos de condições compreender e praticar cada frase desta belíssima oração, e que possamos cultivar a cada dia essa paz em nós.


Lembrem-se ... Onde há oração há vitória! Continue orando!



43 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo